O hábito de consumir uma alimentação saudável, rica em fibras, vitaminas e minerais pode evitar impactos negativos como doenças do coração, obesidade, diabetes e vários tipos de câncer. O Brasil é rico em diversidade de alimentos, mas ainda existe um grande número de brasileiros que pensam que a alimentação é apenas para satisfazer o apetite ou a gula e não se preocupam com a qualidade dos produtos que consomem. ​ Em 2014, o Ministério da Saúde, preocupado com a situação nutricional do país, lançou o Guia Alimentar para a População Brasileira, onde ressalta que uma alimentação completa deve ser baseada em alimentos frescos (frutas, carnes, legumes) e minimamente processados (arroz, feijão e frutas secas). A orientação é que a população evite os ultraprocessados, provenientes de indústrias de grande porte que envolvem diversas etapas e técnicas de processamento, e incluem grande quantidade de sal, açúcar, óleos, gorduras e substâncias de uso exclusivamente industrial. Macarrão instantâneo, salgadinhos de pacote e refrigerantes, são exemplos destes alimentos. Alimentação é muito mais do que sentir o paladar e aroma de um produto, principalmente quando este alimento é industrializado. Para saber o que contem cada alimento, o consumidor deve ler o conteúdo apresentado nos rótulos e prestar atenção, principalmente nas  informações sobre: ingredientes, origem, prazo de validade, conteúdo líquido e lote.  Ingredientes – Traz a relação de componentes presentes no alimento, como açúcar, sacarose etc. A partir deste ano, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) determinou que as embalagens também informem se há presença de ingredientes que causam alergias alimentares. São 17 ítens listados pelo orgão, como por exemplo, trigo, leite e crustáceos. As informações sobre os alergênicos devem vir abaixo da relação de ingredientes e escritos em caixa alta, negrito e com cor diferente do rótulo.
A caseína, lactoalbumina ou caseinatos são proteínas presentes no leite. Se você encontrar um destes termos no rótulo de um produto, saiba que eles podem causar problemas às pessoas que têm este tipo de alergia.
 Informação nutricional – Dados sobre valor energético, carboidratos, proteínas, gorduras totais, gorduras saturadas, gorduras Trans ou ácidos graxos trans, fibra alimentar e sódio. Origem – Traz o nome do fabricante e o local de fabricação. Prazo de validade – Informa o dia e mês quando o prazo de validade for inferior a três meses; o mês e o ano para produtos que tenham prazo de validade superior a três meses. Conteúdo líquido – Indica a quantidade total de produto contido na embalagem. Lote – É um número que faz parte do controle na produção. Caso haja algum problema, o produto pode ser recolhido ou analisado pelo lote ao qual pertence.  Fonte: Ministério da Saúde e Anvisa  

 

As cores dos alimentos na culinária chinesa.

 

 

Brasil planeja frear avanço da obesidade até 2019.